segunda-feira, 18 de julho de 2016

O que são Yantras e como usá-los! (02/03)


Dissecando um Yantra 


     O poder de Yantras para induzir a ressonância é baseado na forma específica de sua aparência. Um tal esquema pode ser composto de uma ou mais formas geométricas que se combinam em um modelo preciso de representação e transfiguração na sua essência, ao nível do universo físico, a esfera sutil da força correspondente a divindade invocada. Deste ponto de vista, podemos afirmar que as funções YANTRA semelhante a um mantra (palavra sagrada). Por ressonância, uma certa energia de MICROCOSMO do praticante vibra na mesma sintonia com o presente energia correspondente infinito no macrocosmo, de energia, que é representado no plano físico do Yantra. O princípio da ressonância com qualquer divindade, a energia cósmica, aspecto, o fenômeno ou a energia deve a sua aplicabilidade universal para a perfeita correspondência existente entre o ser humano (visto como um microcosmo verdade) ea criação como um todo (macrocosmo). 

O Contorno Yantrico 

     Cada Yantra é delimitado a partir do exterior por uma linha ou um grupo de linhas que fazem o seu perímetro. Estas linhas marginais têm a função de manter, conter e evitar a perda das forças mágicas representado pela estrutura central do Yantra, normalmente o ponto central. Eles também têm a função de aumentar a sua força mágica e sutil.

     O núcleo do Yantra é composto por um ou vários simples formas geométricas: pontos, linhas, triângulos, quadrados, círculos e flores de lótus que representa de forma diferente as energias sutis.

A Ponto (bindu) 

     Por exemplo, o ponto (bindu) significa a energia focalizada e sua concentração intensa. Pode ser evnisaged como uma espécie de depósito de energia que pode por sua vez, irradiam energia sob outras formas. O ponto geralmente é cercado por diferentes superfícies, quer um triângulo, um hexágono, um círculo etc Estas formas dependem da característica da divindade ou aspecto representado pelo Yantra. Na iconografia tântrica, o ponto é chamado bindu; no tantra bindu é simbolicamente considerado Shiva, a fonte de toda a criação.


O Triangulo (trikona) 

     O triângulo (trikona) é o símbolo da Shakti, a energia feminina ou aspecto da Criação. O triângulo apontando para baixo representa a yoni, o órgão sexual feminino eo símbolo da fonte suprema do universo, e quando o triângulo está apontando para cima, significa aspiração espiritual intensa, a sublimação da própria natureza para os planos mais sutis e do elemento incêndio (AGNI tattva). O fogo está sempre orientada para cima, assim, a correlação com o triângulo para cima - Shiva Kona. Por outro lado, o triângulo apontando para baixo representa o elemento água, que tende sempre a voar e ocupar a posição mais baixa possível. Este triângulo é conhecido como Shakti Kona.

     A interseção de duas formas geométricas (linhas, triângulos, círculos, etc) representa as forças que estão ainda mais intensas do que aquelas geradas pelas formas simples. Essa interpenetração um indica um alto nível na interação dinâmica das energias correspondentes. Os espaços vazios gerados por tais combinações são descritas como muito eficiente campos operacionais das forças que emanam do ponto centeral do Yantra. É por isso que muitas vezes pode encontrar representações de mantras em tais espaços. YANTRA e mantra são aspectos complementares de Shiva e sua utilização em conjunto é muito mais eficiente que o uso de um só.

 

A estrela de seis pontas (SHATKONA) 

 
    Uma combinação típica freqüentemente encontrados na estrutura gráfica de um Yantra é a superposição de dois triângulos, um apontando para cima e para baixo, formando uma estrela com seis pontos (SHATKONA), também conhecido como Estrela de Davi. Esta forma simbolicamente representa a união de Purusha e Prakriti ou Shiva-Shakti, sem o qual não poderia haver Criação.



O Círculo (chakra) 

     Outra forma geométrica simples, muitas vezes usado em Yantras é o círculo, que representa a rotação, um movimento intimamente ligado à forma de espiral que é fundamental na evolução Macrocósmico. Ao mesmo tempo, o círculo representa a perfeição eo vazio feliz criativo. Na série dos cinco elementos fundamentais que representa o ar (Vayu tattva).








O quadrado (BHUPURA) 


   
   Entre os elemets simples geométricos que compõem Yantras há também a sqaure (BHUPURA). A praça é geralmente o limite exterior do YANTRA e simbolicamente, representa o elemento terra (Prithivi tattva).

     Cada YANTRA começa a partir do centro, muitas vezes marcado por um ponto central (bindu), e termina com o quadrado exterior. Isto representa o sentido da evolução universal, a partir do sutil e terminando com o Acre, a partir de "éter" e terminando com "terra".

      Mesmo resistente a maior parte das vezes Yantras são compostos por estas formas geométricas simples, por vezes, encontramos outros elementos, como pontas de flecha, tridentes, espadas, pontos incluídos no projeto de um YANTRA com a finalidade de representar vetores e direções de ação para o YANTRA energias.



O Lótus (Padma) 

 
    O símbolo de lótus (ou suas pétalas) é um símbolo da pureza e da variedade, cada pétala de lótus que representa um aspecto distinto. A inclusão de um lótus em um Yantra representa a liberdade de interferências múltiplas com a pureza (exterior) e expressa a força absoluta do Ser Supremo.

     Em conclusão, um yantra é um instrumento espiritual muito complexo na prática tântrica (sadhana). Ele pode acalmar e concentrar as atividades da mente, e por sua auto-sugestão positiva que tem um impacto benéfico sobre a saúde eo bem-estar psíquico da pessoa.

     Um yantra sozinha não representa nada. Só quando é despertada pela concentração mental e meditação o processo de ressonância aparecer e as energias benéficas macrocósmico se manifestarão no microcosmo praticante. 




Fonte:



Postar um comentário